Windows vai remover softwares ‘otimizadores’ falsos que assustam usuários

Existem, infelizmente, muitos softwares aparentemente legítimos no Windows que usam de práticas desonestas para fazer seus usuários pagarem por uma versão “PRO”. Agora a Microsoft, por meio do Windows Defender, começará a combater e remover esses aplicativos que utilizem a tática do medo para assustar seus usuários a desembolsar uma quantia.

A empresa está direcionando esforços em um foco específico. O alvo são aqueles programas que normalmente são baixados gratuitamente e prometem diagnóstico e solução de problemas, muitas vezes inexistentes, que estariam causando lentidão na máquina. Contudo, após cumprir sua função básica, o software começa a alertar seu usuário de problemas mais graves, que só podem ser solucionados com a versão mais avançada.

Essa tática é conhecida como scareware; são programas que, em vez de oferecer um serviço legítimo ao usuário, tentam dar nele um susto grande o bastante para incentivá-lo a pagar por um produto.

Com a nova visão da Microsoft, o software que for considerado coercitivo pela empresa pode ser punido e removido de computadores pelo Windows Defender. A empresa considera comportamento abusivo os alertas que exageram riscos, avisos de que a única forma de corrigir o problema é pagando uma versão mais avançada ou mensagens de que o usuário precisa agir dentro de um período limitado de tempo. O Windows Defender também penalizará pagamentos diretos e a orientação a usuários responderem a pesquisas ou se cadastrarem em newsletters como forma de compensação pelo serviço.

Esse tipo de prática já existe no Windows há décadas e aparece em diversos formatos. Em sua modalidade mais inocente, o programa não faz nada maligno ao perceber que o usuário não vai ceder à ameaça. No entanto, o software pode recorrer a técnicas mais agressivas, que podem incluir a remoção de arquivos e registros importantes do sistema operacional para causar transtornos reais como forma de “provar” seu benefício.

Fonte: Olhar Digital

Deixe seu comentário